Como os produtos naturais ajudam nas vendas de um restaurante?

  • Home
  • Gastronomia
  • Como os produtos naturais ajudam nas vendas de um restaurante?

Os brasileiros vêm desenvolvendo hábitos de alimentação mais equilibrados. Nosso país é o 4º maior consumidor de produtos saudáveis do mundo, e essa perspectiva motivou novas tendências de consumo. Dentre elas, a preferência por produtos naturais tem destaque. Seja em casa, seja na rua, os alimentos industrializados estão perdendo espaço.

Tal transformação é um motor para empresas de food service prospectarem potenciais consumidores. E os negócios também precisam observar que o público que move os rumos do setor alimentício não busca benefícios só para si: as pessoas também querem produtos justos e sustentáveis.

Você não vai perder essa revolução, não é? Continue a leitura para entender como os produtos naturais podem incrementar as vendas dos restaurantes e fidelizar os clientes!

Desbravando os produtos naturais

Estamos falando de substâncias ou compostos químicos originados de seres vivos, plantas ou animais. Há várias categorias de produtos desse tipo, e aqui vamos focar os gêneros alimentícios. 

Para você entender o que caracteriza um alimento natural, uma boa leitura é a do Guia alimentar para a população brasileira. A publicação de 2014, do Ministério da Saúde, movimentou a discussão sobre o hábito de comer no Brasil. Conforme o documento, são quatro as categorias de alimentos:

  1. In natura
  2. Minimamente processados
  3. Processados
  4. Ultraprocessados

As duas primeiras classificações envolvem os produtos naturais, que podem ser orgânicos ou não. Elas indicam o que chamamos de “comida de verdade” — isto é, alimentos que vêm da terra, sem aditivos químicos, e que oferecem diversos nutrientes. Mas observe as diferenças: os in natura são aqueles que não passam por processos industriais, como as frutas da feira. Já os minimamente processados precisam de alguma etapa industrial, a exemplo da moagem do pó de café. 

Especificidades dos produtos naturais 

Os alimentos desse grupo são mais adequados à alimentação equilibrada. Diferentemente dos processados — como enlatados e salmouras — e ultraprocessados — como embutidos e refeições congeladas —, eles oferecem variados minerais, vitaminas e proteínas e não são ricos em gordura, açúcar e sódio nem levam elementos maléficos à saúde. 

Como não levam conservantes e estabilizantes, esses produtos têm prazo de validade e tempo de guarda e exposição menores. Logo, você tem de fazer uma previsão de venda detalhada, evitando que o caixa seja prejudicado. Por outro lado, mudar a lógica de estoque garante produtos mais frescos, o que é melhor para a qualidade do menu. 

Outro aspecto importante — muito valorizado pelos novos consumidores — é a não toxicidade dos produtos naturais. Seu consumo está ligado a menores riscos de alergias e doenças inflamatórias. Ainda, quanto menos formulações industriais, menor é o potencial poluente do alimento. Esses argumentos estão alinhados a uma alimentação mais consciente, comportamento forte no mercado brasileiro

Conhecendo o perfil do novo consumidor

Para investir nos produtos naturais e tirar vantagem dessa tendência, você tem que conhecer as especificidades do público que deseja atingir. Desbrave o assunto para absorver a novidade de maneira estratégica. 

Bons indicativos para tomar decisões para os próximos anos estão no Relatório Brasil Food Trends 2020. Esse documento é resultado de uma pesquisa extensa, trazendo um panorama completo sobre as tendências de alimentação para o país. Os consumidores estão priorizando produtos que sejam: 

  • benéficos ao desempenho físico e mental e à saúde cardiovascular e gastrointestinal;
  • próprios para dietas específicas;
  • compostos por aditivos e ingredientes naturais;
  • funcionais (com valor nutritivo agregado);
  • reduzidos em sódio, açúcares e gorduras;
  • orgânicos;
  • minimamente processados.

Essas características, que de uma forma ou outra podem estar contidas nos produtos naturais, causam disrupção do modelo industrial de produção de alimentos, centrado em grande oferta e preço mínimo. Mas não se preocupe: o maior preço dos gêneros naturais não tem relação com menos oportunidades de negócios. Pelo contrário: os consumidores estão entendendo que há um valor agregado que justifica o investimento e isso aquece o setor. 

Vamos pensar num exemplo prático? Se você passou a usar tomates frescos nos molhos do seu restaurante, é importante que o cliente entenda isso. Assim, a pessoa saberá que pode ter benefícios reais ao comprar de você. E observando o seu cuidado com os produtos e em informar sobre eles, provavelmente o consumidor não se sentirá lesado ao pagar a mais. 

Essa mudança de perfil indica que a cultura do país está absorvendo a ideia do alimento como parte do cuidado integral com a saúde. E já que a alimentação é um dos pilares desse processo, negócios de food service precisam estar na dianteira. 

Adotando esse diferencial no seu restaurante

Você não precisa modificar totalmente o menu para oferecer produtos naturais. O primeiro passo pode ser criar opções que chamem a atenção dos consumidores.

Uma alternativa é preparar saladas com ingredientes frescos ou até orgânicos. Também é possível adaptar receitas tradicionais, criando senso de urgência para motivar que os consumidores testem as novidades. Por exemplo, que tal assar alimentos usualmente fritos? 

Você pode modificar as sobremesas, oferecendo versões com frutas frescas. Dá para apostar, ainda, num café produzido regionalmente, valorizando a economia local e, assim, agregar valor às mudanças.

Outra dica é estudar a viabilidade de ampliar a oferta para além do espaço físico. Você pode entregar marmitas para quem pratica esportes e precisa de uma alimentação balanceada. Nesse caso, contar com um nutricionista é fundamental para montar os cardápios. 

Investindo no marketing para vender melhor

É importante deixar sua mensagem clara para que as iniciativas com produtos naturais gerem resultados. É fundamental informar aos consumidores sobre as novidades do mix de produtos.

Se seu restaurante for por quilo, você pode informar nas plaquinhas quais são as opções à base de produtos naturais. Já se tiver um estabelecimento à la carte, com mais espaço para textos nos cardápios, comunique as mudanças considerando a linguagem específica da marca, para que as novidades façam sentido aos frequentadores. 

Independentemente do formato, um ponto que não pode ficar de fora é a divulgação nas redes sociais. Alinhe o discurso e faça postagens explicando as vantagens para o consumidor e informando as ofertas. 

As pessoas precisam saber que seu negócio tem preocupação em trazer novidades, mas também em garantir que o serviço, que já era bom, continuará mantendo o padrão. Aproveite as postagens para mostrar a cara dos fornecedores, especialmente se trabalhar com produtores locais e cooperativas, e explicar os benefícios do consumo consciente. 

Esse cuidado é importante para construir o relacionamento com os clientes e alinhar seu restaurante com a nova proposta. Consequentemente, as oportunidades de vendas poderão melhorar.

Aumentando os lucros com produtos naturais

Oferecer essa novidade manterá o público antigo e atrairá a atenção de novos nichos. Muita gente está buscando uma alimentação saudável, então, essa mudança pode ser bem positiva. Sem contar que, com a reformulação, sua comida ficará mais saborosa, um diferencial que ajudará na conquista e na fidelização.

E se os alimentos da sua casa vierem de produtores locais, os custos de manutenção do negócio poderão diminuir muito. Outra dica legal é, se houver espaço, manter a própria horta, com verduras frescas, sem custo e ao alcance da cozinha. Esses benefícios otimizam a produção e fortalecem o marketing, pois mostram comprometimento com os clientes e preocupação com a procedência dos alimentos.

Os produtos naturais ganharam destaque nos últimos anos e não param de crescer. Analise seu negócio e o entenda nesse contexto, adaptando o menu ou mesmo transformando a marca. Mas observe: a menos que faça parte do novo plano de negócios, não há necessidade de mudança brusca. Afinal, você já tem uma clientela. Encontre equilíbrio para adicionar um diferencial, mas mantenha a identidade do estabelecimento. 

Gostou do conteúdo e quer mais informações? Curta a nossa página no Facebook e veja outros posts como este!

Facebook Comments

Deixe um comentário