Mais 10 tipos de pães do mundo para se inspirar

Mais 10 tipos de pães do mundo para se inspirar

tipos de pães

Os pães estão em nossa cultura há mais tempo do que nossos bisavós poderiam imaginar. Não sabemos exatamente quando esse alimento foi criado, mas vários estudos apontam que, há 6 mil anos atrás na Mesopotâmia, o pão já era resultado de uma mistura dura e amarga feita à base de farinha de trigo, com um aspecto seco. 

Hoje existem vários tipos de pães ao redor do mundo, com diversos ingredientes e sabores. Nós já listamos 10 deles no blog, mas hoje trouxemos mais 10 tipos de pães que você precisa conhecer (e provar). Confira.

Conheça mais 10 tipos de pães 

Quer aumentar o seu repertório sobre os tipos de pães existentes e começar a experimentá-los? Então confira nossa nova lista abaixo.

1. Challah

É um pão judaico trançado servido em cerimônias sagradas às sextas-feiras após o pôr do sol, é consumido no Shabat e nas festas judaicas, excluindo a festa de Pessach. As mulheres começam a acender velas para o ritual, e depois o pão é cortado com as mãos para ser repartido entre as pessoas.

Como eles não costumam usar o leite junto com a carne em suas cerimônias Shabat, então essa receita não leva leite. O challah é um pão simbólico que indica o final de uma semana de trabalho e o começo do dia de descanso. A maioria das receitas tradicionais usa numerosos ovos, farinha, água, açúcar, fermento, óleo vegetal e sal, mas também existe “chalá de água” feito sem ovos.

2. Krachel

Pão redondo pequeno originário do Marrocos, fermentado, com massa semelhante ao Brioche e enriquecida com sementes de erva-doce.

Eles levam gergelim tostado e aromatizado com água de flor de laranjeira de uso culinário. É pincelado com ovos, gergelim e açúcar perolado. Pode ser servido com queijo, manteiga, geleias e combinam com café ou chá.

3. Baozi

São pães cozidos a vapor em vários tamanhos, variedades e recheios, encontrados por toda China. Nesse país existe até uma competição sobre qual é o mais gostoso.Alguns são recheados com carne de porco e podem ser mergulhados em um molho picante. Também tem a opção de serem recheados com espinafre e tofu.

Existem dois tipos de baozi na maior parte da China:

  • dabao, que mede cerca de 10 cm e é servido individualmente ou para a viagem;
  • xiao bao, que mede aproximadamente 3 cm de largura e é mais procurado em restaurantes.

4. Pão de cevada Inglês

No Reino Unido é um tipo de pão que data da Idade do Ferro (1.200 a.C. a 550 a.C.). Preparado com farinha da cevada, que conhecemos mais no preparo de cerveja do que em pães. Este tipo de pão era preparado pelos monges que também fabricavam a bebida.

De receita simples, somente esta farinha, água, sal e fermento biológico ou starter (fermento natural). Em algumas versões ele pode levar mel. Tem sabor levemente adocicado e era especialmente consumido por boa parte da população, pelo seu preço acessível e em épocas que a farinha de trigo sofria com escassez nas Ilhas Britânicas. Atualmente, mistura-se um pouco da farinha de trigo convencional para deixá-lo mais leve.

5. Anpan

Receita japonesa de pão doce recheada com pasta de feijão vermelho ou anko. Podendo levar também, a shiro-an (pasta de feijão branco), goma-an (pasta de gergelim) ou kuri-an (pasta de castanha) nos meses mais frios.

Conta-se que sua origem se deu no século XIX, no período Meiji, com a influência ocidental, que trouxe as padarias europeias para o país. A curiosa mistura surgiu da união das duas culturas: a massa ocidental e recheios tradicionais dos doces japoneses.

A composição básica é farinha, açúcar, leite, ovos, manteiga e fermento, o que lembra muito o Brioche francês.

6. Pumpernickel

Pão de origem alemã feito com centeio integral com extrato de malte. É escuro e denso e ideal para fazer canapês e petiscos. Começou como pão dos pobres, com a farinha mais barata, de grãos inteiros de centeio.

A massa não é preparada com fermento biológico e sim natural. Começa por se preparar uma massa lêveda, misturando apenas a farinha de centeio com água e deixando fermentar por si só durante três dias. Este pão é cozido em banho-maria lentamente, na umidade da própria massa durante horas. Atualmente, na Alemanha, ele pode levar mel ou melaço, coentro, cacau ou café em sua composição.

7. Sourdough bread

Pão rústico de casca dourada, típico da cidade de São Francisco nos Estados Unidos e preparado com fermento natural que conta com uma bactéria nativa que recebeu também o nome da mesma, o Lactobacillus sanfranciscensis.

Ficou famoso pela padaria Boudin, que existe até hoje e foi fundada por padeiros de renome, imigrantes da França. Eles começaram a fabricar este tipo de pão durante a Corrida do Ouro, sendo seus primeiros consumidores os mineiros da região.

O pão ainda é produzido segundo a receita original de 1849 e sua massa tem sabor e aromas levemente ácidos de onde vem sua designação, traduzido ao pé-da-letra, “pão de massa azeda”.

8. Daktyla

Esse é um pão rústico que veio da Grécia, feito de farinha de pão normal misturada com um pouco de fubá, que dá cor amarelada, e de farinha de trigo integral. Seu nome deriva da palavra grega para “dedos” porque a massa é cortada em segmentos estreitos ou vários rolinhos grudados que acabam se parecendo com estes.

O pão fica com uma crosta agradável, miolo úmido e compacto (mas não pesado), sabor de nozes e milho e que pode levar sementes de gergelin ou de cominho preto. Um ótimo pão para quem quer conhecer a culinária grega.

9. Pan-de-muerto 

É um pão doce típico do “Dia dos Mortos” no México, pincelado com calda de laranja e coberto com açúcar, é parte destas celebrações tradicionais da data em homenagem aos entes queridos falecidos.

É feito em casa ou em padarias artesanais há mais de 500 anos, com farinha de trigo, açúcar, erva-doce, água, leite, margarina, ovos, levedura e raspas de casca de laranja. É decorado com motivos na forma de folhas e cruzes.

Com variações regionais que podem levar gergelim, ou pepitas (sementes de abóbora) e com decorações bem coloridas também. Farinha de amaranto pode ser utilizada no lugar da de trigo e complementada com farinha de abóbora (da polpa seca e moída).

10. Rewena bread

Ou Rewena Paraoa é um pão de origem Maori. Os primeiros colonizadores Maori chegaram à Nova Zelândia vindos da Polinésia, no século XIII, descendentes dos mesmos colonizadores polinésios, micronésios e melanésios que cruzaram o Pacífico.

A palavra “rewena” vem da raiz “rewa” que é um tipo de batata utilizada para produzir o fermento natural desta receita, também conhecido como “bug”. Elas são cozidas, amassadas e misturadas com farinhas e açúcar, deixando fermentar por três dias no mínimo.

Este pão de textura firme é consumido quente com manteiga ou geleias e geralmente feito em família.

Conclusão

Existem tantos tipos de pães que fica difícil listá-los em um único post. Aproveite as curiosidades para buscar ter ideias diferentes para novos produtos no seu estabelecimento, com certeza você vai atrair novos clientes.

Gostou de conhecer mais esses tipos de pães? Conheça também o pão astraliano e descubra como utilizá-lo para aumentar o mix de produtos da padaria.

Fornos de Panificação
Deixe um comentário