A retomada do turismo e como seu hotel deve se preparar

Powered by Rock Convert

Uma coisa é certa, com a vacinação e a reabertura dos destinos, o que teremos é uma verdadeira explosão no turismo.

Esse mercado se manteve, mesmo com crises anteriores, porque as pessoas sempre desejam viajar, seja para descansar ou por necessidades de trabalho.

Uma pesquisa da Booking.com, publicada na Revista Viagem, aponta que a maior parte dos viajantes brasileiros (67%) disse estar animada para voltar ao turismo.

Com isso em mente, toda a esfera hoteleira pode planejar e executar com antecedência ações para lucrar!

Continue lendo para veja nossas dicas sobre como se preparar para esse retorno.

Por que se preparar?

A retomada dos negócios

Muitas empresas precisaram adotar o home office, suspendendo viagens e eventos por reuniões on-line. Contudo, essas novamente buscarão o contato direto com seus clientes e teremos empresários, executivos e seus colaboradores viajando por todo Brasil, o que demanda hospedagem.

Afinal, nada como o famoso “olho no olho” e “aperto de mão”.

A busca pelo lazer

As pessoas estão em casa há mais de um ano, sem ter contato com as outras e indo apenas aos supermercados e farmácias.

Muitas ainda não tiraram férias porque não podem viajar ou não puderam comemorar datas importantes.

Daí a necessidade de se aproveitar mais a vida e os bons momentos com viagens a lazer.

Otimizando a estrutura do negócio

Apesar de muitos locais terem mantido seu aparato, o impacto gerado pela pandemia levou a mudanças. Os que contavam com equipes numerosas, por exemplo, reduziram bastante o número de colaboradores e a oferta de refeições.

Além disso, vários negócios estão revendo suas produções, tentando reduzir a área ocupada e a quantidade e tamanho de equipamentos.

Confira os pontos importantes para otimizar a estrutura do seu estabelecimento:

Selecione um mix de produtos diversificado

O público, mais do que nunca, estará ávido por variedade e qualidade, mas também atento ao fator preço, que falaremos logo mais.

Por isso, haverá uma necessidade de uma a cadeia produtiva mais eficiente, com diferentes opções de lanches, porções, pratos principais e sobremesas.

Escolha as matérias primas com cuidado

Para oferecer qualidade ao cliente e lucrar ao mesmo tempo, o ponto chave é esse. Os preços de insumos já pedem por compras bem-feitas e planejadas e pela total redução do desperdício, mas, além disso, é preciso balancear entre valor e qualidade.

Se comprarmos matérias primas muito baratas, podemos perder em qualidade e, se comprarmos as muito caras, teremos produtos ótimos, porém com preço elevado.

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

Defina preços justos

Mesmo após a pandemia, teremos ainda um período de recuperação da economia, e os hóspedes buscarão economizar. Por isso, o ideal não é aumentar os preços dos produtos e serviços, e sim abaixar os custos para oferecer valores mais justos.

Desenhe um processo e fluxo com produtividade

A rotina normal já conhecida dos hotéis, resorts e pousadas envolve um número astronômico de pessoas e processos.

Como houveram as reduções, as operações deverão ser as mais enxutas possíveis, com técnicas e métodos modernos, rápidos, fáceis e menos dispendiosos.

Os processos devem ser facilitados e velozes e o fluxo deve ser contínuo, sem muitas paradas e interrupções. A preocupação com a produtividade deve fazer parte de todo o trabalho, ainda assim, se temos uma estrutura com pouca ou nenhuma tecnologia, isso fica difícil.

Mantenha sua equipe atualizada

Também não podemos deixar de lado a importância de uma boa integração, treinamento, e qualificação dos profissionais envolvidos. Nenhum investimento em melhoria terá bom retorno se as pessoas não estiverem conscientizadas, preparadas e motivadas a adotar novas metodologias de trabalho.

É fundamental também promover o alinhamento da equipe aos valores, missão, visão e objetivos.

Escolha os equipamentos certos

Os equipamentos de uma cozinha convencional ocupam espaço, demandam muitos colaboradores para operar e são de difícil cuidado. Por isso, a tendência será de um layout clean, com menos máquinas e pessoas na cozinha e o máximo de produtividade, com múltiplas funções.

Isso se traduz em “verticalização”, na qual ocupamos menor metragem quadrada e centralizamos operações em menos equipamentos.

Uma cozinha que antes operava com múltiplas bocas de fogão industrial, chapas gigantes sempre quentes e fritadeiras sempre cheias precisará ser repensada.

Citando um exemplo, o investimento em um forno combinado reduziria o uso destes equipamentos consideravelmente e ainda de forma automatizada, podendo realizar diversas cocções, como assados, cozidos, frituras, grelhados, legumes e arroz, tudo em um só equipamento, o que verticaliza o processo.

Preze pela economia de recursos

Seja água, energia, gás, insumos, produtos de limpeza ou mesmo o tempo, toda economia é crucial, e também podemos utilizar equipamentos para atingir esse objetivo.

No preparo convencional, gastamos litros e mais litros de óleo e água, levamos mais tempo para preparar os alimentos e podemos produzir poucas receitas por vez (o que gasta mais gás ou energia elétrica), e precisamos de colaboradores atentos com a cocção o tempo todo.

Já com o uso de um forno combinado, conseguimos eliminar a fase da refoga e reduzir drasticamente o uso de óleo, além de poder preparar vários alimentos ao mesmo tempo, mais rápido e de forma automatizada.

A economia ainda aumenta, e muito, se utilizarmos um ultracongelador, já que nele é possível fazer a produção antecipada, na qual congelamos o alimento pré-pronto ou pronto e apenas regeneramos quando o cliente solicitar. Isso faz com que o sanduíche produzido na terça-feira possa armazenado e vendido na terça ou, quem sabe, na sexta-feira, o que elimina o desperdício que seria perder esse sanduíche por estragar.

Ofereça mais agilidade no atendimento

Se o hóspede solicita um sanduíche de madrugada, o pedido vai para a cozinha e a chapa está fria e precisará ainda ser esquentada, para depois ser feita a preparação toda só então ser feita a entrega.

O hóspede recebe o solicitado 40 minutos depois. Não é ruim?

Já adotando o sistema com fornos micro-ondas profissionais com ar-impingido, o tempo de preparo do sanduíche cai para 1 minuto e meio! Além disso, para deixar ainda mais rápido, podemos usar a produção antecipada, com o uso de ultracongelador, também aqui.

Como você pôde ver, o mercado do turismo voltará com tudo após a pandemia e, junto a esse retorno, os hotéis precisarão ter agilidade na readaptação. Organizando com calma e antecedência os pontos citados, você será capaz de oferecer uma ótima experiência a todos os hóspedes, que querem voltar a curtir a vida normal com uma excelente viagem e estadia.

Gostou dessas dicas? Teremos muito mais em nosso Blog Prática. Acompanhe nossas postagens e confira!

Powered by Rock Convert

Facebook Comments

Deixe um comentário