Refeições rápidas em hotelaria: veja como implementar o sistema

Refeições rápidas em hotelaria: veja como implementar o sistema

  • Home
  • Sem categoria
  • Refeições rápidas em hotelaria: veja como implementar o sistema
refeições rápidas

Fazer refeições rápidas dentro do próprio hotel, sem precisar sair para procurar algo, é uma necessidade e comodidade que muitos hóspedes valorizam. Por mais básico que seja, como um sanduíche ou um salgado, especialmente a noite após um dia tumultuado.

Não apenas para quem faz muitas viagens a trabalho, a praticidade de aproveitar uma boa comida no conforto do quarto, também é preferência para aqueles que estão passeando também, aproveitando algo e descansando.

Muitos estabelecimentos imaginam que para ampliar o serviço de alimentação no local, deve-se investir muito em reformas e estruturação de serviços. Porém, o mercado dispõe de alternativas como as dos fornos de finalização ultrarrápida, que permitem a finalização de refeições rápidas mesmo em espaços menores e sem precisar ampliar a brigada da cozinha.

Se você é do ramo ou não, vale a pena conhecer esta possibilidade. Leia o texto abaixo e confira.

O que são os Speed Ovens?

São fornos compactos que permitem a finalização ultrarrápida de produtos resfriados ou congelados com qualidade. Contando com as tecnologias de micro-ondas, ar impingido e resistência infravermelho, você consegue atender rapidamente seus hospedes entregando uma variedade de pratos com qualidade.

Por serem compactos e não necessitarem coifas e exaustores, os Speed Ovens são uma ótima opção para pequenos espaços internos, podendo ser facilmente instalados em cima de balcões.

Com programação de receitas no painel, você também garante a padronização dos produtos tanto em um único estabelecimento quanto em vários, Com capacidade para gravar até 1024 receitas, utilizando a atualização via Wi-fi, em plataforma virtual específica ou via USB.

Ademais, com eles não há necessidade de investir em outros equipamentos, como “salamandras” e micro-ondas. Diminuímos o desperdício de alimentos e conseguimos ter maior variedade de opções no cardápio, entregando maior qualidade para os clientes.

Quais tipos de produtos podem entrar como refeições rápidas em hotéis?

A versatilidade destes equipamentos permitem o preparo de todos os tipos de produções, contanto que estejam pré prontas, ou seja, pré-assadas, pré-cozidas ou pré-fritas.

Sugestões de preparos que podem ser finalizados nos Speed Ovens:

  1. Sanduíches: toda gama de sanduíches quentes com proteína pronta, queijo, molho e salada, utilizando pães comuns ou de maior valor agregado.
  2. Massas: variedades de macarrão, molhos, queijos, gratinados, entre outros.
  3. Sopas e caldos: pré-prontos, congelados, resfriados ou feitos nos locais que contam com fogão ou cooktop.
  4. Pequenas refeições: proteína, arroz e legumes prontos, molhos e risotos.
  5. Salgados pré-fritos e pré-assados
  6. Pizzas: pré-assadas congeladas ou frescas conforme modelo de forno e tamanho da câmara interna.
  7. Sobremesas: Petit gateau, creme brulèe, strudel.

03 tipos de layout para finalização rápida em hotéis

Para implementar o sistema de refeições rápidas no seu estabelecimento, o primeiro passo é definir o layout operacional da sua cozinha. Aqui estão 3 formatos possíveis:

Ponto de Finalização rápida

Equipamentos

  1. Módulo congelado ou freezer
  2. Módulo resfriado ou geladeira
  3. Forno Speed Oven

Produção: Todos os itens são adquiridos congelados de terceiros e seguindo uma lista limitada e com algumas combinações e variações.

Operação: Um colaborador move diariamente uma quantidade de produtos do estoque congelado para o resfriado (dinâmica congelado para resfriado). Conforme os pedidos chegam, o colaborador monta, finaliza no Speed Oven e envia para os quartos ou refeitório.

Investimento: menor e com menor ocupação de área física

Indicação: hostels, pousadas, hotéis de menor porte ou mesmo grandes estabelecimentos onde não se pretende operar a cozinha completa em determinados horários e dias.

Benefícios: atende necessidade imediata dos hóspedes.

Micro cozinha de finalização

Equipamentos

  1. Módulo congelado ou freezer
  2. Módulo resfriado ou geladeira
  3. Forno Speed Oven
  4. Fogão de duas bocas ou cooktop

Produção: Parte dos itens são adquiridos congelados de terceiros e produz molhos e maior possibilidade de finalizações e outros combinações e variações produção de alguns itens frescos no local como molhos, grelhados, massas, hambúrgueres, risotos e etc. Contudo, com produtividade limitada.

Operação: Dinâmica congelado para resfriado. Colaborador pega insumos terceirizados já resfriados e complementa o prato para finalizar no Speed Oven.

Investimento: ocupação de área física e cocção (fogão ou cooktop)

Indicação: pousadas e hotéis com operação parcial da cozinha.

Benefícios: atende necessidades dos hóspedes e uma gama maior de produtos.

Micro cozinha funcional

Equipamentos

  1. Módulo congelado ou freezer
  2. Módulo resfriado ou geladeira
  3. Forno Speed Oven
  4. Forno Combinado 3 ou 5 de gastronorms
  5. Ultracongelador de 5 gastronorms
  6. Fogão de duas bocas ou cooktop

Produção: Pode adquirir itens congelados de terceiros. Produz, congela, armazena, regenera refeições completas e atende cardápio mais extenso.

Operação: Dinâmica congelado para resfriado, produção fresca e preparo antecipado com ultracongelador.

Investimento: Investimento maior em equipamentos, área física delimitada e cocção (fogão ou cooktop)

Indicação: qualquer empreendimento do ramo hoteleiro com refeições.

Benefícios: atende necessidades dos hóspedes como um “pequeno restaurante” de cardápio variado e produção antecipada.

Como implementar o sistema de refeições rápidas?

Depois de escolher o melhor modelo dos mencionados acima, você precisará seguir alguns passos importantes na implementação deste sistema de atendimento rápido

  1. Acompanhamento com a fiscalização: a participação da Vigilância Sanitária em quaisquer projetos que envolvam a produção de alimentos é essencial. Consulte localmente os requisitos.
  2. Definição do cardápio: com apoio do nutricionista e chef de cozinha (próprios ou terceiros), desenvolva uma proposta de cardápio de fácil execução e de acordo com os gostos dos seus hóspedes.
  3. Prospecção de fornecedores: busque entre fornecedores terceiros quais itens eles podem entregar regularmente e avalie também custo versus qualidade, que devem estar bem equilibrados.
  4. Programação de receitas no Speed Oven: com apoio do nutricionista e chefe de cozinha (próprios ou terceiros), insira no forno os parâmetros desejados para cada receita.
  5. Procedimento operacional: com apoio do nutricionista e chef de cozinha (próprios ou terceiros), crie os POP’s, procedimentos operacionais padrão para cada item.
  6. Escolha da equipe: os Speed Ovens permitem a programação de receitas mas é imprescindível que o profissional siga os procedimentos, Boas Práticas, seja ágil e goste de trabalhar com alimentos.
  7. Treinamento: com apoio do nutricionista e chef de cozinha (próprios ou terceiros), faça um treinamento com os colaboradores designados para função.

Da mesma forma, converse com a equipe de recepção e serviço de quarto sobre o cardápio, valores e como vender esta comodidade. Outro ponto importantíssimo é que a entrega do produto também deve ser tão rápida quanto a do preparo. Do contrário, o produto esfriará e a impressão do hóspede será negativa.

Cuidados com a apresentação

Lembre-se, o visual é importantíssimo! Seu produto deve despertar o apetite do cliente. Por isso, invista também na apresentação. Os Speed Ovens permitem dourar e gratinar perfeitamente e no caso dos sanduíches, os pães ficarão com a casca crocante.

Pense em saladas, complementos, acompanhamentos e decoração para acompanhar cada item.

Conclusão

Em suma, fornecer refeições rápidas em hotéis é possível sim, ocupando menor espaço e investindo menos do que em uma cozinha convencional completa. Por fim, veja nossa postagem como o Cook and Chill beneficia a hotelaria. Continue a leitura.

Deixe um comentário