Restaurantes saudáveis: como atender a demanda por esse tipo de alimentação no seu negócio?

  • Home
  • Gastronomia
  • Restaurantes saudáveis: como atender a demanda por esse tipo de alimentação no seu negócio?
Restaurantes saudáveis

Se engana quem pensa que para ter uma alimentação saudável é preciso abrir mão de um sanduíche ou de uma pizza, ou quem pensa que as comidas naturais não são gostosas.

Atualmente, cada vez mais pessoas buscam cuidar da saúde por meio de mudanças de hábitos e de uma alimentação mais natural, por conta disso, a demanda por restaurantes saudáveis só cresce.

Para acompanhar essa evolução e incluir o novo público, muitas redes de fast foods oferecem opções menos prejudiciais à saúde, mas não são nem de longe a melhor caracterização de uma alimentação saudável.

Assim, para atender essas pessoas é necessário investir em restaurantes saudáveis que possam oferecer pratos saborosos e nutritivos. Quer saber mais sobre essa tendência? Então continue a leitura e aproveite as dicas.

Importância de oferecer alimentação saudável

A alimentação saudável é essencial para a prevenção de doenças e para a melhora na qualidade de vida. Dessa forma, uma pessoa sadia e com uma imunidade alta, com certeza, cuida do que coloca no prato.

Os alimentos nutritivos contribuem para o fortalecimento do corpo e do cérebro, afinal, uma mente sadia é reflexo de um corpo sadio.

Como esse é um mercado em expansão, a busca por restaurantes saudáveis aumentou nos últimos anos, porém esse público encontra um desafio: a falta de estabelecimentos convencionais que ofereçam opções saudáveis em seus cardápios.

Desse modo, há uma tendência das pessoas com hábitos saudáveis acabarem migrando para restaurantes especializados nesse tipo de alimentação.

Portanto, ter um restaurante tradicional e oferecer alternativas saudáveis no cardápio é uma boa ideia para ganhar uma maior clientela, principalmente por gerar o senso de pertencimento nessas pessoas e possibilitar que elas saiam com amigos com outros hábitos alimentares sem se adaptar a eles.

Recomendações do Ministério da Saúde

O “Guia alimentar para a população brasileira”, disponibilizado pelo Ministério da Saúde, apresenta algumas recomendações para uma alimentação saudável. Veja o que esse documento diz:

  • os alimentos devem ser bem escolhidos, minimamente processados e consumidos de preferência in natura;
  • o uso de óleos, gorduras, sal e açúcar deve ser moderado;
  • os alimentos processados devem ser consumidos em pequena quantidade;
  • os alimentos ultraprocessados, como biscoitos recheados e macarrão instantâneo, devem ser evitados;
  • a alimentação deve ser variada em nutrientes segundo os grupos: leguminosas, cereais, legumes e verduras, frutas, oleaginosas, laticínios, carnes e ovos e água;
  • é preciso comer com regularidade e atenção, além do ambiente ser calmo e limpo;
  • comer em companhia é melhor;
  • as compras devem ser feitas em locais com diversidade de alimentos e, de preferência, com produtos orgânicos;
  • dar preferência às refeições produzidas na hora;
  • o tempo deve ser planejado para que a alimentação seja feita adequadamente;
  • o conhecimento sobre esse assunto é importante e é importante e acessível a todos, apesar de pouco divulgado. Clique aqui e conheça o guia alimentar brasileiro.

Assim, essa reeducação nutricional é importante e os estabelecimentos devem investir em alternativas que possibilitem uma alimentação saudável.

Restaurantes saudáveis

Os restaurantes com comidas exclusivamente saudáveis ou que contam com alguns pratos naturais incluídos no seu cardápio devem ter os produtos escolhidos com cuidado para fazer jus ao nome.

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

O ideal é que o cardápio seja preparado por um chef de cozinha acompanhado de uma nutricionista, para que o público tenha a certeza da qualidade dos produtos oferecidos, tanto relacionado ao sabor quanto à segurança alimentar.

Enquanto o chef dará atenção aos aspectos culinários e de custo dos itens, a nutricionista terá mais atenção aos seguintes pontos:

  • alimentação equilibrada e rica em nutrientes;
  • menor acúmulo de gordura corporal;
  • maior energia para realizar as atividades diárias;
  • menor risco de doenças;
  • prevenção do envelhecimento precoce.

Assim, os estabelecimentos podem oferecer variadas opções sem nada de origem animal, sem glúten, com menos açúcar e substituírem os produtos industrializados e ultraprocessados por alimentos orgânicos, produtos ecológicos e sem agrotóxicos, verduras, legumes, oleaginosas, cereais integrais, dentre outros.

Como ter um cardápio diversificado

As comidas saudáveis também podem ser variadas. Há uma infinidade de alimentos não saudáveis que podem ser adaptados para uma versão saudável, orgânica ou funcional, tais como:

  • pizza com massa de batata;
  • hambúrguer de carne magra, grão-de-bico, lentilha, ervilha, quinoa ou soja;
  • sanduíche natural com pão integral ou sem glúten;
  • tapioca recheada com frango;
  • lasanha de berinjela;
  • arroz integral;
  • macarrão de abobrinha;
  • arroz de couve-flor;
  • nhoque de batata-doce;
  • torta integral de legumes;
  • omelete sem óleo;
  • sopas e caldos;
  • salmão grelhado;
  • salada com sementes e camarão;
  • cremes salgados naturais, como guacamole (feito com abacate);
  • brownie de abóbora;
  • bolo de castanhas e cacau;
  • cookie de aveia e nozes;
  • sorvete artesanal de frutas;
  • brigadeiro de biomassa de banana verde;
  • suco de uva integral;
  • kombucha e kefir;
  • água de coco;
  • sucos, vitaminas e smoothies.

Use a sua criatividade para criar novas receitas. Vale a pena utilizar muitas frutas, verduras, legumes, cereais integrais, fontes saudáveis de gordura (como óleo de coco e azeite de oliva), proteínas magras e carboidratos complexos.

As sementes, oleaginosas e frutas secas são excelentes para incluir nos pratos, como saladas, smoothies, granola, biscoitos e bolos:

  • quinoa;
  • chia;
  • linhaça;
  • gergelim;
  • pepita de girassol;
  • semente de abóbora;
  • amendoim;
  • nozes;
  • pistache;
  • amêndoa;
  • castanha do Pará;
  • damasco;
  • uva passa;
  • tâmara;
  • ameixa seca;
  • dentre outras.

Para adoçar os alimentos, existem alternativas para substituir o uso do açúcar branco: tâmaras, agave, melado de cana, mel, stevia, xilitol, açúcar mascavo, açúcar de coco, dentre outros.

Processos de produção mais saudáveis para os alimentos

A produção de alimentos mais saudáveis exige um processo diferenciado, com menor exposição a altas temperaturas, como as fervuras, para não perder os nutrientes.

Os alimentos preparados in natura e minimamente processados, como os cozidos no vapor, assados e fritos sem óleo em um equipamento específico para isso são algumas opções de processos mais saudáveis.

Todos os processamentos, incluindo os básicos (como selecionar, lavar e cortar) devem ser feitos seguindo as normas de higiene.

Conclusão

Como vimos, a gastronomia saudável é uma tendência que veio para ficar. Portanto, os restaurantes saudáveis devem oferecer uma variedade de pratos equilibrados para garantir a qualidade de vida dos seus consumidores.

Além disso, muitas pessoas podem adotar esse novo estilo de vida a qualquer momento, então é válido focar na divulgação do seu negócio, uma vez que são poucos os estabelecimentos que incluem esse público. Assim, o seu restaurante irá se destacar no mercado.

Agora que você já sabe como atender a demanda por comidas saudáveis, descubra também como inovar o cardápio e diminuir custos com a ajuda da tecnologia.

Powered by Rock Convert

Facebook Comments

Blog Comments
Avatar

A alimentação saudável ainda tem um público muito seleto, mas ainda tem sua importância.

Deixe um comentário