Saiba como investir na formação de mão de obra na panificação

Powered by Rock Convert

Você já cogitou investir na formação de mão de obra para a sua padaria? Atualmente, o Brasil carece de profissionais qualificados na área da panificação, uma vez que a nova geração tem pouco interesse nesse setor. Além disso, há o agravante de somente existirem cursos de alto investimento no mercado.

Nessas situações, uma excelente solução é incentivar o seu time a procurar as instituições profissionalizantes ou então fugir do óbvio e ensiná-lo técnicas exclusivas, dentro de seu próprio negócio. A princípio, essa segunda opção pode até soar estranha, mas acredite — ela renderá bons frutos no futuro.

E diante dessa necessidade, decidimos falar melhor a respeito do tema. Neste post, contaremos tudo sobre a formação de mão de obra em padarias, os seus benefícios e como aproveitar ao máximo tal oportunidade. Acompanhe!

O cenário da qualificação de mão de obra na padaria

Antes de falar do ramo das padarias, precisamos entender como está o mercado de trabalho no Brasil. Já não é novidade que, hoje em dia, boa parte da população brasileira não tem acesso a uma formação profissionalizante — e esse problema começa logo após o ensino médio.

Quando isso acontece, o adolescente chega aos 18 anos sem qualquer tipo de encaminhamento profissional, encontrando dificuldade para se adequar em uma profissão específica. Dentro da panificação, essa questão acaba tendo um peso muito maior, uma vez que a área exige um alto nível de conhecimento e habilidades — que só podem ser adquiridas em uma rotina de experiências e aprendizado constante.

Como resultado, os dois lados saem perdendo. Primeiramente, o dono das padarias, porque terá dificuldade em achar profissionais prontos para enfrentar os desafios do seu negócio. Segundo, o próprio jovem, já que passará um tempo considerável até receber uma oportunidade e conseguir, de fato, se consolidar no mercado de trabalho.

As vantagens competitivas de uma mão de obra qualificada

Mas é claro que existe uma “luz no fim do túnel”. Aqui, a alternativa é investir na pessoa que acabou de completar 18 anos, é alfabetizada e apresenta — ou não — um curso técnico. Ao contratá-la, você poderá investir no seu desenvolvimento, lapidando as habilidades dela para que consiga suprir a demanda da padaria e, em seguida, ir se aprimorando até se tornar especialista no setor.

Existem muitas vantagens ao apostar nessa modalidade. Fato esse que tem feito com que inúmeros empresários estejam abrindo os olhos para essa opção e mudando a sua dinâmica na contratação de profissionais. Abaixo, listamos as principais delas.

Facilidade em adequação

O jovem vai para a sua empresa sem nenhum vício ou preconceito adquirido em outra profissão. Por se tratar de seu primeiro emprego, provavelmente, nunca teve contato com a rotina e valores de outra organização, sendo mais fácil educá-lo para que o seu desempenho seja sempre de acordo com as necessidades da padaria.

É válido lembrar que, hoje, muitos colaboradores originários de outras empresas costumam carregar uma “bagagem” não compatível com a cultura da nova organização onde pretendem trabalhar. Isso, sem dúvida, acaba gerando muita rotatividade.

Possibilidade de aprender de verdade

Quem é do ramo da panificação sabe que os profissionais só conseguem, de fato, aprender, quando eles “colocam a mão na massa”. Sendo assim, uma característica desse processo de formação é a experiência. Em sua empresa, ele vai aprender praticando todos os dias, com o acompanhamento correto, e desenvolvendo técnicas específicas para as suas exigências.

Excelente custo-benefício

O investimento na padaria e no jovem profissional é feito de acordo com o seu desempenho — ao contrário do que acontece com os colaboradores tradicionais, que já têm uma expectativa de crescimento dentro de uma organização, não aceitando ganhar menos para “começar do zero” e aprender novas técnicas.

As diferentes funções da área de produção da padaria

Em uma padaria, há diferentes funções para serem exercidas. E uma vez investindo na formação de mão de obra, é interessante seguir um ciclo de evolução do profissional, garantindo que o indivíduo também tenha expectativa de crescimento e se mantenha sempre motivado.

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

Funciona assim: primeiramente, ele entrará na empresa como nível iniciante, ajudando em todas as etapas do processo de produção de pães. Depois, o profissional pode ser promovido para o cargo de iniciante. Nessa fase, ele já terá aprendido alguns conceitos e funções importantes dentro da panificação.

Passados um ou dois anos, o seu cargo poderá ser elevado para nível intermediário. Por último, em um espaço de cinco a seis anos, essa promoção pode ser considerada para nível avançado. Em outras palavras, o ciclo acontece da seguinte forma:

  1. nível iniciante;
  2. nível intermediário;
  3. nível avançado.

É importante lembrar que os jovens da geração Y têm pressa em obter o tão sonhado crescimento profissional. Por isso, é preciso pensar de modo estratégico, traçando um plano de carreira para que ele tenha, ao menos, uma promoção anual.

No nível avançado, esse aprimoramento também não deve terminar. Em vez disso, o empreendedor precisará oferecer soluções maiores de aprendizado, sem se esquecer dos conhecimentos ensinados no dia a dia.

Como fazer a formação de mão de obra no seu negócio

É comum encontrarmos empresários que querem gastar dinheiro demais com a formação de mão de obra. Enquanto outros não fazem investimento nenhum. Ambos as decisões são equivocadas.

O ideal é ter na padaria uma pessoa de cargo de liderança ou gestão — podendo ser o próprio proprietário ou, inclusive, o gerente de produção. Também é imprescindível que esse especialista tenha habilidades — e paciência — para treinar novos colaboradores e seja encarregado de cuidar da formação dos jovens.

Um curso comum, e obrigatório, nesse ramo é o de “Boas Práticas”. Por ser básico, um gestor com capacidade e dinâmica de lecionar pode ministrá-lo, tendo assim, um custo zero para o caixa da empresa. Há também mais algumas alternativas valiosas, como o curso de “Procedimentos Operacionais Padrões” e o de “Normas Sanitárias para a Prevenção da Covid-19”.

Durante esse processo, é fundamental que ainda exista uma “política de produção de conhecimento”, dentro da própria empresa. Se você conta com um padeiro que é excelente profissional, mas não tem vontade de compartilhar conhecimento, automaticamente, ele se tornará um colaborador limitado.

A longo prazo, tal indivíduo pode trazer diversos transtornos para a padaria, uma vez que os profissionais que trabalham com ele não terão uma boa oportunidade para aprender e se aperfeiçoar.

Dica da Prática

Gostou e quer dar esse passo? Considere, desde já, contratar um Jovem Aprendiz para o seu negócio. Nesse programa, é preciso que o cidadão tenha entre 14 e 24 anos, esteja devidamente matriculado em uma instituição de educação básica ou concluído o ensino médio, além de contar com um excelente desempenho escolar.

A sua remuneração é obtida com base em regras específicas, que calculam a quantidade total de horas trabalhadas no mês — sempre incluindo as aulas, os feriados e o repouso, que devem ser remunerados. Vale a pena!

Com essas dicas, esperamos que tenha ficado fácil aprender como optar pela formação de mão de obra e tornar a dinâmica da sua padaria muito mais eficiente e otimizada.

Caso queira continuar conferindo outros conteúdos como este, aproveite para assinar a nossa newsletter e receber novidades — e dicas — em primeira mão. Até logo!

Lava-louçasPowered by Rock Convert

Facebook Comments

Deixe um comentário