Gastronomia: Como implementar um serviço de take-away

Gastronomia: Como implementar um serviço de take-away

Take-away

O take-away oferece muitas vantagens aos estabelecimentos de food service, tendo em vista que contribui com a redução de custos, lucratividade e modernização do restaurante.

Esse modelo de negócio se consolidou durante a pandemia, pois foi uma das alternativas encontradas para manter os estabelecimentos em funcionamento sem comprometer as regras de distanciamento social.

Mas, afinal, o que é e como funciona esse modelo de negócio? Vale a pena investir nele? Como implementá-lo? Se você não sabe as respostas para essas questões, fique com a gente, porque vamos explicar tudo sobre o take-away!

Afinal, o que é take-away?

Como mencionado inicialmente, take-away é um modelo de negócio aplicado aos estabelecimentos de food service, tais como restaurantes e lanchonetes. A proposta é preparar a refeição ou lanche e disponibilizá-lo para que o cliente o retire no local para consumi-lo em outro espaço.

Apesar de se tratar de um modelo de negócio específico, ele pode e é aplicado com outros modelos, como delivery e drive-thru, por exemplo.

Qual a diferença entre take-away, delivery, drive-thru e Grab and Go?

Já que falamos em delivery e drive-thru, você deve estar perguntando-se qual a diferença entre eles e o take-away, não é mesmo? Pois bem, a seguir, vamos explicar melhor cada uma das modalidades, confira.

Delivery

No delivery, o cliente não tem que se deslocar até o restaurante para obter o produto. Nese modelo, o cliente entra em contato com o restaurante por telefone, WhatsApp, aplicativo ou site e faz o pedido.

Em seguida, ele recebe suas compras diretamente em casa e elas são entregues, geralmente, por um motoboy.

Drive-thru

Já no modelo drive-thru, o cliente se dirige até o estabelecimento em um veículo e, dentro dele, realiza o pedido, o pagamento e recebe o produto para consumi-lo em outro espaço.

O drive-thru, geralmente, atende clientes que tenham veículo e estabelecimentos que comercializam refeições de preparo muito rápido. Além disso, o restaurante precisa de uma área específica para a retirada.

Normalmente, estabelecimentos que atendem drive-thru têm toda uma área a parte para a logística desse negócio e é necessário um bom espaço para conseguir fazer esse serviço. Afinal o cliente está passando pelo estabelecimento com um veículo.

Grab and go

O modelos Grab and Go (Pegue e Vá), por sua vez, é um sistema de atendimento com produtos já embalados e prontos para levar. O conceito vem das lojas de conveniência e consiste em “estações” dinâmicas que oferecem refeições já prontas com boa qualidade.

Take-away

Já no modelo take away, o cliente faz o seu pedido por telefone, aplicativo ou outro meio de comunicação, e a entrega é feita, normalmente, é um balcão de pedido para retirada e consumo em outro local.

Agora, você deve estar perguntando-se qual desses modelos é o melhor, e a resposta é: depende. O perfil dos seus clientes e o tipo de produto que você comercializa contribui com a escolha.

Cabe destacar, ainda, que é possível mesclar um modelo com os demais, a fim de atender um maior número de clientes, oferecendo diferentes opções.

Qual a importância do take-away para os negócios?

Como mencionado previamente, o take-away oferece muitas vantagens aos negócios. A seguir, listamos algumas delas.

Redução de custos

Como não é preciso dispor de um espaço para acomodar os clientes ou uma pista para veículos, como necessita o drive-thru, não é necessário investir em uma ampla infraestrutura e equipe de colaboradores. Isso contribui para a redução de custos e, consequentemente, aumenta a lucratividade do negócio.

Além disso, como o próprio cliente busca o produto no estabelecimento, não há despesas com motoboys ou aplicativos de delivery. Vale destacar, no entanto, que aplicativos como iFood e Rappi já oferecem a opção de take-away, logo se o cliente solicita o produto por lá e passa para pegar, o aplicativo cobra a taxa.

Fácil de administrar

Como já destacamos, o modelo de negócio take-away não demanda uma ampla infraestrutura e equipe de funcionários. Sendo assim, trata-se de uma excelente alternativa para quem pretende abrir um negócio no segmento de food service, mas não tem um grande capital de investimento.

Mais clientes atendidos

Caso você já tenha um restaurante ou lanchonete que já realiza atendimento presencial e serviço de delivery, por exemplo, ao disponibilizar a opção take-away, tem chance de atender um maior número de clientes.

Como implementar o serviço de take-away?

Se você ficou interessado no modelo de negócio take-away, veja como implementá-lo.

Defina o cardápio

O primeiro passo para implementar o take-away no seu restaurante ou lanchonete é definir o cardápio, uma vez que nem sempre é possível adaptar todos os pratos a esse modelo de atendimento.

Isso porque os pratos precisam ser preparados rapidamente e devem ser de fácil consumo, pois não se sabe onde o cliente vai realizar a refeição. Falando nisso, é preciso avaliar se a embalagem que você já utiliza para delivery, caso a tenha, se adapta ao take-away. 

Organize um espaço funcional

Se você for abrir um novo negócio baseado no modelo take-away ou for oferecer essa opção em seu restaurante, é preciso organizar um espaço de trabalho que seja funcional. Dessa forma, é possível otimizar o processo de atendimento, preparo e entrega das refeições.

Caso você atue com mais de um modelo, pode ser interessante dispor de um anexo específico para as encomendas provenientes do take-away.

Treine a equipe de funcionários

De nada adianta definir um cardápio e organizar um espaço funcional se a sua equipe não for bem treinada para colocar o modelo take-away em prática. Sendo assim, passe de forma objetiva e clara todas as informações necessárias e, se possível, faça simulações, pois assim muitas dúvidas práticas poderão ser sanadas antes que vocês atendam os clientes.

Claro que, mesmo realizando o treinamento, dúvidas poderão surgir, mas isso é normal. Nesse sentido, é interessante que você se dedique nos primeiros dias a apenas assessorar a equipe. Assim, você poderá identificar falhas e saná-las rapidamente.

Faça uso de tecnologias

A palavra de ordem do modelo take-away é agilidade e nada melhor para otimizar os processos do seu restaurante ou lanchonete do que as tecnologias. A dica aqui é apostar em softwares que permitam disponibilizar o cardápio de forma virtual ao cliente. 

Dessa forma, o cliente tem mais comodidade para escolher o que deseja, e você evita a formação de filas no ponto de venda, o que pode gerar atrasos e insatisfação para os clientes.

Além disso, você pode optar por plataformas que permitam integrar os diferentes canais de comunicação do seu negócio, facilitando o atendimento.

Aposte no uso de equipamentos

Existem muitos equipamentos para a cozinha industrial que podem ser utilizados para garantir mais otimização ao serviço de take away. Um deles é o forno speed oven, que proporciona uma finalização rápida para pizzas, sanduíches, hambúrgueres, cookies e muitos outros produtos.

Eles são bastante indicados para otimizar a produção em pizzarias, lanchonetes e fast food e podem ser de grande auxilio para quem está pensando em oferecer o modelo take away.

Concluindo…

Como você pôde perceber, o modelo take-away é uma excelente alternativa para o seu negócio, pois abre a possibilidade de atender um novo perfil de cliente. Trata-se de um modelo de baixo custo, o qual você pode aplicar de forma conjunta a outros modelos ou até mesmo focar para abrir o seu estabelecimento de food service.

Mas, para isso, é preciso realizar um bom planejamento e pensar nas dicas que mostramos neste post para que o novo empreendimento seja um sucesso entre o público!

Curtiu a ideia? Confira também nossas dicas para garantir um atendimento eficiente e treinar sua equipe para vender mais.

Deixe um comentário