Venda por delivery: como precificar os produtos?

Powered by Rock Convert

As oportunidades de venda por delivery aumentaram muito nesse momento de crise, em virtude da pandemia causada pelo novo coronavírus, já que a recomendação é manter o isolamento social.

Sabemos que o processo de precificação é muito importante. Contudo, a formulação do preço deve ser diferente para comercializar um produto para entregar.

Pensando nisso, preparamos um post especial para explicar como precificar os produtos para realizar a venda por delivery. Ficou interessado no assunto? Continue a leitura e confira!

Qual é a importância da precificação correta?

A precificação correta é indispensável para qualquer tipo de mercado, já que o preço dos produtos diz muito mais do que apenas o valor em dinheiro envolvido na transação.

O preço do item também implica diversos valores subjetivos, que precisam ser condizentes com a estratégia da marca e dos indivíduos da cadeia de produção, como distribuidores, varejistas e entregadores.

Quais fatores devem construir o preço dos produtos?

Alguns itens são essenciais para conseguir calcular corretamente o preço dos produtos. Veja abaixo os mais importantes!

Atentar-se às despesas fixas e variáveis

Os custos fixos e os variáveis são muito importantes para determinar um preço adequado. Se forem esquecidos, podem gerar um grande prejuízo para o empreendedor, pois tais despesas são responsáveis pelo funcionamento básico do negócio.

Aluguel, contas de água, energia e telefone são gastos fixos, porque praticamente não passam por grandes alterações de um mês para o outro.

Tributos, comissões, valores de cartão e fretes são despesas variáveis, pois esses gastos costumam oscilar em números bastante distintos entre os meses.

Tais alterações entre um tipo de gasto e outro vão variar ainda conforme o tipo de negócio. Uma padaria, por exemplo, não tem despesas idênticas às de uma pizzaria. Por tal motivo, tenha atenção a essas variações de valor e saiba distinguir quais são os seus gastos fixos e variáveis.

Manter a média de preço

Ao definir o preço dos produtos, é indispensável estabelecer um número equilibrado para não colocar um valor muito abaixo nem muito acima do praticado pelo mercado. Preços muito altos ou muito baixos podem gerar estranheza no consumidor.

Fazer a diferenciação entre preço e valor

Em um primeiro momento, os dois termos têm significados parecidos, mas eles não são a mesma coisa. O preço refere-se ao custo real pago por um produto ou serviço. O valor trata-se da percepção subjetiva do consumidor em relação ao produto ou serviço, ou seja, é a importância dada pelo cliente à mercadoria ou serviço. O primeiro é algo concreto, o segundo, abstrato.

Reflita: quando alguém compra seu produto, quais valores ele agrega? Um bom exemplo são as empresas de renome que vendem produtos e/ou serviços por cifras altas, mas o consumidor ainda compra, pois os valores abstratos e subjetivos, considerados pelo cliente, valem aquele preço pago.

Resumindo: preço é a quantia, enquanto valor é o que o cliente leva. Por exemplo, se sua pizza for excelente, o consumidor terá mais disposição para pagar mais caro por ela, mesmo que ela tenha a mesma quantidade de ingredientes que a concorrente. O mesmo serve para o oposto. Uma pizza de pouca qualidade será procurada pelo cliente quando ele quiser pagar mais barato.

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

Determinar uma margem de lucro adequada

A margem de lucro é um ponto imprescindível e estratégico. Ela implica diretamente no capital de giro e em novas quantias para o investimento na empresa.

Com os cálculos de custo do seu produto e de despesas já feitos, o empreendedor vai estabelecer o quanto deve ganhar de lucro líquido para o negócio.

É fundamental ter cuidado: uma margem de lucro muito elevada pode tornar o preço final alto e espantar os clientes. Já o contrário, um preço baixo, conseguirá atrair consumidores, entretanto pode não ser tão lucrativo. Seja coerente, sem exageros.

Como calcular o custo da entrega na venda por delivery?

Para estimar o custo de entrega na venda por delivery e ter o preço justo, que não interfira em sua rentabilidade e não fique oneroso para o consumidor, é necessário considerar alguns fatores. Veja logo abaixo os principais!

Distância percorrida

Um dos principais fatores a serem considerados, ao calcular o custo da entrega na venda por delivery, é a distância do trajeto. Para estimar isso de forma mais simples, o ideal é usar o Google Maps ou qualquer outro aplicativo do tipo. Defina a rota entre o ponto de saída até o de entrega.

Você pode estabelecer o custo da entrega de acordo com a distância ou até mesmo determinar valores fixos por região, levando em conta a quilometragem que será percorrida.

Custo do combustível

É claro que, se for usar bicicleta para realizar as entregas, não é necessário observar esse item, porém, caso vá utilizar carro ou moto, é importante conhecer o consumo de combustível do veículo. Popularmente falando, é necessário saber quanto o veículo faz por litro.

A variação pode ocorrer até em veículos da mesma categoria, por isso você precisa saber o gasto médio do que for utilizar. O cálculo é simples, siga os passos abaixo:

  • zere a quilometragem do veículo antes de abastecer e, em seguida, anote a quantidade de litros abastecidos;
  • divida os quilômetros rodados pela quantidade de litros consumidos, logo depois de usar todo o combustível. O resultado refere-se ao consumo médio por quilômetro que foi rodado;
  • multiplique essa média pelo valor do litro de gasolina da sua região. Assim, você terá o preço gasto por quilômetro rodado do veículo.

Salários, encargos e benefícios

A menos que você mesmo realize as entregas, será preciso contratar colaboradores para ajudar. Por isso, para estimar o custo de entrega na venda por delivery, é importante levar em conta o gasto anual com essas pessoas, relevando fatores como a remuneração, os benefícios, o décimo terceiro, as férias e os encargos fiscais.

Seguro e despesas do veículo

Contratar um bom seguro também é muito importante tanto para o veículo quanto para o seu colaborador, pois garantirá cobertura caso haja qualquer tipo de acidente, assalto ou outra eventualidade.

Caso você seja o proprietário do carro, moto ou da bicicleta, ainda deve considerar os custos, uma vez que até as bicicletas necessitam de manutenção. Além do mais, carros e motos também têm despesas com seguro, impostos e documentação.

Entrega gratuita

Não dá para negar que oferecer entrega gratuita é um baita diferencial para qualquer tipo de negócio, não é mesmo? Já que contribui para aumentar as vendas e atrair e fidelizar clientes. Contudo, você precisa ter certeza de que essa cortesia não vai gerar algum tipo de prejuízo, comprometendo os lucros do seu negócio.

Uma ideia é determinar locais próximos para fazer tal oferta. Por exemplo: entregas no raio de um ou dois quilômetros têm esse benefício.

A precificação correta é uma estratégia de gestão imprescindível. Precificar produtos para realizar a venda por delivery não é um bicho de sete cabeças. Siga as dicas deste post, com elas ficará muito mais fácil gerenciar as novas demandas e ter sucesso nos negócios.

Gostou do conteúdo? Então assine agora mesmo a nossa newsletter para ficar sempre por dentro das novidades! Até a próxima!

Lava-louçasPowered by Rock Convert

Facebook Comments

Deixe um comentário