Segurança dos alimentos: como a tecnologia pode apoiar seu restaurante

Segurança dos alimentos: como a tecnologia pode apoiar seu restaurante

  • Home
  • Gastronomia
  • Segurança dos alimentos: como a tecnologia pode apoiar seu restaurante
A tecnologia é uma grande aliada para garantir a segurança dos alimentos no seu restaurante. Veja aqui como ela pode ajudar.

Diante das mudanças no consumo e questões de higiene, desde o início do ano, empreendedores estão investindo em dobro na segurança dos alimentos. 

Inegavelmente, a a tecnologia pode ser uma grande aliada desse processo. Hoje em dia, já é possível contar com recursos capazes de otimizar os procedimentos, melhorando o controle de qualidade e a análise de prazos de validade.

Com o intuito de ajudar manter a sua loja atualizada e conquistar a confiança do público, mostraremos tecnologias que garantirão a segurança dos alimentos e como aproveitá-las.

Continue acompanhando a leitura e saia na frente!

Uso de equipamentos modernos

Há alguns anos, se contássemos que, no futuro, os pratos pudessem ser personalizados e preparados a partir de uma impressora 3D, é provável que você achasse a ideia mirabolante. Hoje, porém, a proposta não é estranha.

A partir dessas informações, é esperado ser possível produzir alimentos exclusivos, assim como substituir ingredientes para alcançar sabores únicos e funcionais para o organismo humano.

Um bom exemplo disso é a carne, que pode dar lugar ao consumo em massa de algas marinhas ou, simplesmente, de insetos capazes de simular o sabor da proteína bovina.

No entanto, não precisamos ir tão longe. Já no cenário atual, existem equipamentos industriais de última geração e primordiais para a qualidade, eficiência e segurança na preparação de alimentos.

Aqui, estão os fornos modernos, formados por painéis digitais, controle de temperatura, lavagem e desligamento automático, temporizador com alarme e muito mais.

Logo que são empregados em uma cozinha profissional, tais equipamentos colaboram para o bom desempenho dos processos produtivos, fazendo com que as características organolépticas dos alimentos sejam bem preservadas. Isso facilita o trabalho dos profissionais de cozinha.

Controle da qualidade

Com toda certeza, em se tratando da segurança de alimentos, o controle de qualidade é um cuidado que não pode ser esquecido. De acordo com um levantamento realizado em 2012 pela TÜV SÜD, cerca de 40% dos entrevistados relataram ter vivido uma experiência insegura com os produtos alimentícios, em um período de até cinco anos.

Desde então, esse contexto teve algumas melhoras, graças aos cuidados de higiene, juntos à aplicação da tecnologia que também colabora para minimizar os danos causados pela contaminação por micro-organismos. 

Só para exemplificar, destacamos o uso do forno combinado — um equipamento capaz de preparar o alimento em um ambiente único e com excelente controle de temperatura.

Igualmente, existe o ultracongelador, responsável por reduzir rapidamente a temperatura no núcleo do alimento, fazendo com que ele saia da faixa de temperatura propícia a proliferação bacteriana.

Controle de prazos por software

Outra boa notícia, para melhorar a segurança de alimentos do seu negócio, é que existem alguns softwares compostos especialmente para padarias, lanchonetes e demais estabelecimentos que atuam no ramo alimentício.

Só para exemplificar, são programas que conseguirão informatizar a sua loja, como aqueles que avisam os gestores quando os prazos de validade de determinados insumos estão prestes a vencer. Tal tecnologia permite que o seu estoque esteja sempre em dia, evitando a perda de ingredientes ou, simplesmente, o comprometimento de toda a sua cadeia de produção.

E não é só isso. Temos mais um exemplo incrível — a Fine Instrument Technology (FIT), uma startup conhecida por desenvolver inovações utilizando a Ressonância Magnética Nuclear (RMN). Com os seus equipamentos, é possível realizar análises químicas e físicas de modo ágil e extremamente preciso nos ingredientes.

O mecanismo ainda apresenta a porcentagem de gordura sólida, identifica o excesso de xarope de milho no mel e nos azeites, mede o nível de óleo nas frituras e por aí em diante. Certamente, uma solução e tanto para melhorar a qualidade de um serviço em cozinhas profissionais.

Além da segurança dos alimentos, também nutrientes, sabores e texturas

Conservar o sabor, a textura e os nutrientes dos alimentos é um dos principais desafios dentro de uma cozinha profissional. Mas, por conta da chamada tecnologia de microencapsulação, esse processo está cada vez mais fácil de ser concretizado.

Dessa maneira, com tais recursos, os especialistas conseguem criar alimentos com propriedades novas, mais saudáveis e seguras. Compostas por ingredientes funcionais, aditivos inovadores e características únicas.

Essas alternativas vêm sendo as principais procuradas pelos empreendedores da indústria alimentar, que desejam preservar as propriedades de seus produtos oferecidos ao público.

Assim que é adotado esse mecanismo, as chamadas “substâncias bioativas” dos ingredientes são armazenadas em uma espécie de “matriz” do próprio produto, impedindo que elas se percam ao longo dos preparos com a reação de compostos ou oxidação.

Em linhas gerais, podemos afirmar que a novidade conseguirá fornecer inúmeros benefícios para o ramo alimentício. Entre eles, destacamos:

  • a possibilidade de desenvolver aditivos naturais;
  • a capacidade de criar ingredientes extremamente funcionais;
  • a facilidade em promover melhorias de cunho sensorial para os alimentos e demais produtos;
  • a oportunidade de criar ingredientes tecnologicamente avançados, gerando novas experiências para o consumidor final.

Mantendo os cuidados básicos de segurança dos alimentos

Embora a tecnologia seja uma aliada essencial, não é suficiente. Para um processo produtivo seguro, a equipe precisará manter outras precauções. São elas:

  • fazer a higienização do espaço de forma periódica. O mesmo vale para os utensílios e equipamentos;
  • utilizar matérias-primas de origem conhecida;
  • empregar materiais de limpeza profissionais e certificados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa);
  • somente usar água potável nos preparados dos produtos;
  • controlar muito bem a validade dos insumos e nunca utilizar itens vencidos;
  • aferir a temperatura de equipamentos de armazenamento, como geladeiras e freezers;
  • analisar a temperatura dos alimentos ao longo do processo de cocção;
  • verificar a temperatura e tempo de exposição do alimento pronto para o consumo;
  • implantar boas práticas de manipulação, como o controle de saúde do colaborador e o asseio pessoal.

Em suma, após a leitura você conseguiu entender a importância da segurança de alimentos e como investir em tecnologias para esse fim?

Por fim, caso queira começar desde já a levar essas estratégias para o seu negócio, veja também mais sobre o uso do ultracongelamento na gastronomia e o sistema Cook and Chill, ou preparação antecipada. Continue a leitura.

Entrevistada

Juliana de Castro Pereira – Coordenadora de Gastronomia Prática Klimaquip S/A

Nutricionista, formada pelo Centro Universitário São Camilo, com MBA em Gestão de Negócios pela Anhembi Morumbi. Com experiência em consultoria e docência em food service, Juliana é Coordenadora de Gastronomia da Prática Klimaquip S/A, desde 2015.

Deixe um comentário